terça-feira, 28 de outubro de 2014

Comandante da PM de Timon é atingido com “perfuração” de tesoura na perna por bandido acusado de três homicídios

Após suposta traição, homem acusado foge de presídio e faz mulher e bebê de reféns
Luís Borges Cavalcante, atingido a tiros depois de ferir o comandante da PM de Timon, major Medeiros
Uma mulher e um bebê de três meses foram feitas reféns por um fugitivo do presídio de Pedrinhas, na noite de segunda-feira (27), em Timon (MA). O autor da ação, Luís Borges Cavalcante, mais conhecido como Luizinho, responde por três homicídios e portava documentos falsos.

Segundo os policiais de Timon, Luis Borges estava à procura de sua ex-mulher e falava que havia sido traído quando estava preso. Exaltado ele disse que existe um vídeo da ex-mulher mantendo relações sexuais com outra pessoa. Como ele não encontrou a ex-mulher, pegou a cunhada e uma criança de apenas três meses como reféns.

De acordo com o major Juarez Medeiros, comandante do 11º Batalhão, Luizinho tentou negociar a libertação das reféns pela ex-mulher, o que não foi aceito pelo comandante. Pediu ainda um colete a prova de balas, água e a presença da imprensa, como condições para se entregar.

"Porém, após ter algumas exigências atendidas, o foragido disse que não se entregaria e só sairia da casa morto. Ele chegou a pedir que a polícia atirasse nele e deu a entender que se não fizéssemos isso, ele mataria a cunhada e a criança, para forçar a própria morte", contou o major Medeiros.

Após mais uma tentativa de negociação, o acusado novamente ameaçou fechar a porta do quarto e matar as vítimas. O comandante então atirou nas pernas de Luís Borges, que, mesmo ferido, tentou se arrastar para onde estavam as reféns. Ao ser impedido, atingiu o major Medeiros com um golpe de tesoura na perna direita.

 Medeiros, acabou sendo atingido na perna pelo bandido
O comandante foi até a Unidade de Pronto Atendimento, onde foi socorrido e levou oito pontos. O foragido de Pedrinhas foi socorrido pelo Samu e será submetido a cirurgia. Ele está sob escolta da Polícia Militar.

A mulher e o bebê de três meses foram libertados sem ferimentos. "Quando atirei, a preocupação foi atingir o marginal nas pernas sem atingir as reféns que estavam no mesmo quarto, que se encontrava com as luzes apagadas. Por isso corri o risco e me aproximei para atirar, sabendo que ao meu lado existiam homens preparados e que instantaneamente a guarnição da FT e os demais PMs o dominaram", completou o comandante.



Luís Borges deverá ser encaminhado novamente a Penitenciária de Pedrinhas, onde cumpria pena por um homicídio no Maranhão e dois no Piauí. Fonte: PM de Timon

Nenhum comentário:

Postar um comentário