quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

TERESINA: Hospital Universitário deverá implantar serviços de Oncologia

HU deverá implantar serviços de Oncologia

Com o intuito de tratar sobre a oferta de serviços de Oncologia pelo Hospital Universitário do Piauí, participaram de audiência hoje, 26, na Justiça Federal, representantes da Secretaria Municipal de Saúde de Teresina,Secretaria Estadual de Saúde, Ministério da Saúde, Ebserh - Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, HU e Ministério Público Federal.

Durante a audiência ficou acordado que o Hospital Universitário do Piauí deverá ser incluindo no Plano Estadual de Oncologia e ,dessa forma,passe a ofertar à população serviços de tratamento contra o câncer. O local deverá realizar uma série de adequações estruturais.

“O plano de atenção oncológica deverá ser reformulado pelo Estado devendo constar o HU como um dos serviços de Oncologia a serem abertos no Piauí”, disse a juíza Marina Rocha,da 5ª Vara Federal do Piauí.

O HU terá um prazo de oito meses para instalar o serviço de quimioterapia e funcionará, nesta fase inicial, como Unidade de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon). Após esse período, o hospital deverá passar por uma reestruturação para que possa ofertar outros tipos de tratamentos com um nível de exigência maior em termos de estrutura física, recursos materiais e equipe de profissionais.

“Inicialmente iremos adequar nossas instalações para oferecer tratamento em quimioterapia. Daí, em pelo menos 2 anos, a expectativa é que estejamos habilitados também como Centros de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia (Cacon), podendo oferecer, por exemplo, tratamento em radioterapia”, disse o superintendente do HU, Miguel Luz.

Logo que os serviços sejam disponibilizados à população, a Secretaria Estadual de Saúde do Piauí juntamente com a Secretaria Municipal de Saúde de Teresina devem requerer a habilitação do HU junto ao Ministério da Saúde.

“Hoje temos apenas um serviço de Oncologia habilitado no Piauí. A expansão desse serviço é de extrema necessidade para que a gente possa atender a estes pacientes de forma mais humana”, destacou o secretário municipal de Saúde, Aderivaldo Andrade.

Equipamento para tratamento em radioterapia

Outro ponto discutido durante a audiência foi a destinação de um Acelerador Linear do MS para Teresina. O equipamento de alta tecnologia é usado para o tratamento em radioterapia de pacientes com câncer e já havia sido adquirido através do Plano de Expansão da Radioterapia do Governo Federal. No entanto, o Estado ainda não recebeu o equipamento por falta de local adequado.

“O aparelho não será destinado a outro Estado. Vamos aguardar que as adequações sejam feitas para que esta o acelerador seja, de fato, enviado ao Piauí”, comprometeu-se a coordenadora geral de Atenção às Pessoas com Doenças Crônicas do Ministério da Saúde,Patrícia Chueiri. Ela ainda acrescentou que “estes aparelhos têm a capacidade de aumentar em 25% a oferta de radioterapia no Sistema Único de Saúde (SUS)”.

O encontro foi resultado de uma audiência também realizada na Justiça Federal,em janeiro desse ano, que tratou sobre o atendimento a pacientes oncológicos em Teresina,especialmente aqueles vindos do Maranhão.


Nenhum comentário:

Postar um comentário