quinta-feira, 12 de março de 2015

Saúde de Timon deverá ter novos servidores, diz secretário Márcio Sá

Secretário Municipal de Saúde, Márcio Sá, no plenário da Câmara Municipal de Timon

O secretário de Saúde de Timon, Márcio Sá, disse hoje (12) ao participar de audiência pública na Câmara Municipal para apresentação do relatório de ações da pasta referente ao terceiro quadrimestre de 2014, que deverá ser realizado seleção para a contratação de 91 agentes comunitários de saúde e o edital para a contratação dos médicos recentemente aprovados em concurso público já está pronto. Com isso ele espera reduzir as dificuldades de atendimento em todas as áreas do município.

Segundo ele, o relatório contém todos os procedimentos efetuados nos diversos pontos de atendimento, com ações de atenção básica, postos de saúde, UPA, CAPs e hospitais. “Acho que devemos fortalecer mais ainda a atenção básica, cuidar das pessoas na base. Temos que dar prioridade a atenção básica,  pois assim estaremos desafogando a UPA e tendo mais leitos nos hospitais”, disse ele.

O secretário disse ainda que vai participar como membro da Comissão Integestora Bi-Partite e isso vai permitir que mais recursos possam ser disponibilizados para Timon.

Tales Waquim

O vereador Tales Waquim cobrou a realização de concurso público para agentes de saúde e disse que os profissionais que estão trabalhando estão sobrecarregados. Ele cobrou mais detalhes financeiros e disse que é necessário o detalhamento dos valores aplicados em cada programa para que a Câmara possa ter condições de apreciar o documento com mais clareza. A mesma cobrança foi feita pelo vereador Kennedy Gedeon.

Raimundo Novaterra

O vereador Raimundo Novaterra parabenizou a equipe da Saúde pela evolução da saúde em Timon e lembrou que nos dois primeiros anos da atual administração os timonenses sofreram muito porque o governo estadual não ajudava. “Quando fizeram a UPA disseram que iria ter também um hospital de referência. Esse hospital foi para Coroatá”, disse.

Segundo ele, a estrutura dos postos de saúde da família, do hospital Parque Alvorada estão ótimos. “Sabemos que temos dificuldades, mas a competência da equipe supera essas dificuldades. Com a parceria com o governo estadual vamos melhorar, pois a administração tem compromisso com o povo”, disse.

Ivan do Saborear

O vereador Ivan do Saborear disse que a saúde de Timon melhorou em relação ao governo passado. “Eu lembro que recentemente o povo de Timon ia ser atendido em Teresina, mas agora a Policlínica funciona com todas as especialidades. Temos deficiência, temos. O que precisamos é melhorar. O Samu funciona bem. Já vi técnicos do Samu na chuva para atender pacientes. Os agentes de saúde estão mais  atentos. É essa turma que precisa ter melhores salários”, disse.

Neto Peças

O vereador Neto Peças disse que a saúde está funcionando bem e existe falta de médicos em Timon é porque os salários não são atraentes e ainda existe o fato da cidade ser ao lado de uma capital, Teresina, onde a oferta salarial é maior.

O secretário foi criticado por um radialista que disse ser ele corajoso por comparecer à Câmara quando a saúde está deficitária, mas foi defendido pelos vereadores Celso Tacoani, Raimundo Nova Terra, José Carlos Assunção e Doutor Torquato.

O vereador José Carlos Assunção disse os problemas na saúde pública ocorrem em todo o Brasil, como recentes reportagens mostraram. A mesma opinião foi partilhada pelo vereador Chagas Cigarreiro, Kennedy Gedeon e Tales Waquim.

Atendimentos ganharam mais eficiência

Ao apresentar o relatório de ações, o secretário Márcio Sá disse que 85% dos problemas de saúde devem ser resolvidos nos postos de saúde da família, pois assim os hospitais terão maior capacidade de atendimento. “Hoje nós temos uma estrutura boa, mas isso não adianta nada se não temos médicos, enfermeiras e agentes de saúde. Fico triste ao ver médicos formados em Teresina irem trabalhar em cidades distantes podendo trabalhar aqui em Timon. Mas, infelizmente não temos condições financeiras de contratá-los”, disse.

O programa Saúde da Família conta com 57 equipes, sendo que seis delas estão sem médicos. Foram feitos no último quadrimestre do ano passado 34.726 consultas médicas e 92 mil visitas domiciliares. Trabalham no programa 328 agentes comunitários de saúde.

No programa de saúde bucal foram feitos 13.949 atendimentos individuais nos 23 consultórios odontológicos. O núcleo de apoio à saúde da família tem uma equipe multiprofissional para atender em diversas especialidades. Foram feitas 2.314 consultas oftalmológicas e entregues 1.400 óculos aos alunos atendidos pelo programa Saúde na Escola.

A Policlínica está aparelhada e oferecendo exames de eletrocardiograma, ecocardiograma, endocospia, colonoscopia, densimetria óssea e eletrocardiograma, além de exames laboratoriais. Exames especializados também são realizados pelo Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher.

No final do ano passado portadores de necessidades especiais de Timon deixaram de ser atendidos em Teresina, obrigando o município a criar um serviço especializado com psicólogos, psiquiatra, neuropediatra e fisioterapia, atendendo 70 pessoas por dia. O Samu realizou 6.059 atendimentos no período, mas recebeu 2.443 trotes, o que atrapalhou muito o seu funcionamento. Fonte: Agência CMT

Nenhum comentário:

Postar um comentário