segunda-feira, 13 de julho de 2015

Eliziane Gama, a deputada maranhense que incomoda o governo na CPI da Petrobras

Do R7

Deputada federal Eliziane Gama, do PPS/MA
Um dos deputados que mais incomodam o governo federal é mulher, tem 38 anos, 1,62 de altura e é do Maranhão, um dos Estados mais pobres do País onde a então candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, obteve 78% dos votos válidos nas eleições passadas.

Jornalista por formação e evangélica ligada à ex-senadora Marina Silva para quem fez campanha em 2014, Eliziane Gama, do PPS, é titular da CPI da Petrobras e uma das autoras do requerimento de convocação do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, aprovado na quinta-feira (9).

Ao justificar o pedido de convocação, a deputada, reconhecida pela objetividade, afirmou que quer saber as circunstâncias do encontro que Cardozo manteve com os advogados das empreiteiras investigadas pela Operação Lava-Jato em fevereiro passado e classificado de “reprovável” pelo juiz Sérgio Moro.

Antes desse requerimento, Eliziane causou mal-estar entre os próprios colegas ao apresentar um pedido de convocação dos parlamentares citados na lista do procurador Rodrigo Janot como supostos beneficiários do esquema do petróleo.

Na lista de pedidos, 47 personagens do meio político, incluindo os presidentes da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e o do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

Mais recentemente, também ganhou a assinatura dela o requerimento aprovado de convocação à CPI de Paulo Okamotto, o presidente do Instituto Lula e braço direito do ex-presidente da República que também já esteve na mira de Eliziane. Ela chegou a pedir a convocação do ex-presidente, cujo nome aparece nas investigações da Polícia Federal como suposto beneficiário de doações de empreiteiras atreladas à Lava-Jato.

A deputada também não se esquece dos adversários domésticos. Numa diligência da CPI da Petrobras, realizada em Curitiba (PR) em abril de 2015, a deputada do PPS arrancou do doleiro Alberto Youssef a informação de que o dinheiro da propina do esquema de precatórios também chegou à então governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB).

Há 15 dias, a partir da homologação da delação premiada do empreiteiro Ricardo Pessoa (UTC), Eliziane Gama entrou na CPI com pedidos para realização de sessões com os ministros Aloizio Mercadante (Casa Civil) e Edinho Silva (Secretaria de Comunicação Social). Eles foram citados nos depoimentos de Pessoa aos procuradores da Lava-Jato.

Ansiosa para virar prefeita

Em seu perfil no Facebook, Eliziane não esconde que está ansiosa para disputar a Prefeitura de São Luís nas eleições do ano que vem. Ela publica pesquisas eleitorais em que aparece à frente nas intenções de voto de figurões no Estado como a ex-governadora Roseana Sarney, o ex-prefeito João Castelo e o atual prefeito Edivaldo Holanda Jr. O apoio virtual, entretanto, ainda é tímido.

Em que pese ter sido a candidata campeã de votos entre os concorrentes a deputado em seu Estado, foram 133 mil em 2014, Eliziane aposta na oposição ao PT e seus aliados para ampliar o número de eleitores no embalo da crise de popularidade dos adversários. Candidata derrotada nas eleições para a prefeitura em 2012, a deputada quer consolidar a imagem de líder oposicionista e construir o perfil de mulher que defende as causas do Maranhão.

Com essa estratégia, ela se tornou investigadora da Comissão Externa criada na Câmara para apurar “in loco” o cancelamento dos projetos para implantação da refinaria Premium I em Bacabeira (MA). O mais importante, porém, é a objetividade da congressista em fazer alianças. O PSDB já teria prometido a ela seu apoio no ano que vem e as alianças já estariam firmes o suficiente para garantir a competitividade na campanha à Prefeitura da capital maranhense.

Nenhum comentário:

Postar um comentário