sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Maranhão: Indiciamento de João Abreu repercute nacionalmente


O indiciamento de João Abreu, ex-secretário-chefe da Casa Civil no governo Roseana Sarney, teve grande repercussão na imprensa nacional. João Abreu foi indiciado pela Polícia Civil do Maranhão por corrupção. Ele é suspeito de ter recebido R$ 3 milhões em propinas para garantir o pagamento de precatórios no valor de R$ 134 milhões devidos à empreiteira UTC-Constran, do empresário Ricardo Pessoa. O assunto foi destaque nas páginas de política dos jornais O Globo, Correio Braziliense e O Estado de São Paulo.

Desde que foi revelado o esquema para adiantamento de precatórios à Constran, durante o ano passado, a mídia nacional voltou à atenção para o assunto. O crime foi descoberto durante as investigações da Operação Lava Jato que resultaram na prisão do doleiro Alberto Youssef em São Luís. De acordo com Youssef e outros funcionários dele, como Rafael Ângulo Lopes e Meire Poza, foram pagas quantias milionárias na gestão da ex-governadora Roseana Sarney para furar a fila de pagamento de precatórios e beneficiar a UTC-Constran.


Em todos os depoimentos, o ex-secretário João Abreu é citado como o intermediador do recebimento da propina. O indiciamento dele significa que as investigações estão avançando e que já existem elementos suficientes sobre a autoria e materialidade do crime em relação a João Abreu. Tanto os advogados de João Abreu quanto da empreiteira Constran negam o pagamento de propina para a liberação dos precatórios. (Com informações do Blog do Garrone). 

Nenhum comentário:

Postar um comentário