quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Greve de trabalhadores paralisa a empresa Transbrasiliana

Após a empresa Transbrasiliana demitir 20 trabalhadores, não pagar a indenização trabalhista prevista em lei e atrasar o pagamento dos salários, do plano de saúde e do ticket alimentação, o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários do Estado (SINTETRO) iniciou greve por tempo indeterminado, paralisando as atividades da empresa em Teresina.

A Transbrasiliana, segundo informou os trabalhadores ao SINTETRO, pretende demitir os cerca de 100 funcionários e acabar com as atividades em Teresina, mas alega que não tem dinheiro pagar os direitos trabalhistas.

O SINTETRO acionou o Ministério Público do Trabalho, no Piauí, que convocou representantes do SINTETRO e da Empresa Transbrasiliana para discutir a situação dos trabalhadores, durante reunião que aconteceu na manhã desta quarta-feira (9).

Representantes da empresa Transbrasiliana e do SINTETRO 

Na reunião, a Empresa Transbrasiliana reafirmou a pretensão de acabar com as atividades em Teresina e demitir os funcionários, mas que não tem condições de pagar os direitos trabalhistas de uma vez. A empresa propôs o pagamento dos direitos trabalhistas dos trabalhadores em 12 parcelas. O SINTETRO recusou a proposta.

A procuradora do Trabalho, Maria Helena, propôs então que o prazo para o pagamento dos direitos trabalhistas fosse feito em 6 parcelas. O prazo para que a empresa desse uma resposta ao Ministério Público do Trabalho foi marcada para a próxima terça-feira (15).
Enquanto isso, a greve na empresa continua. Os ônibus estão retidos na garagem da empresa, na zona Sul de Teresina.

Estão desativadas as linhas da empresa em Teresina, que faziam transportes de passageiros, como Parnaíba-Goiânia, Teresina-Brasília, Teresina-Palmas, Teresina-Araguaína, Fortaleza-Palmas e Teresina-Goiânia via Maranhão. Fonte: SINTETRO

Nenhum comentário:

Postar um comentário