terça-feira, 15 de setembro de 2015

Ministério Público detecta novos problemas na Maternidade Evangelina Rosa

Promotora de Justiça, Cláudia Seabra,  durante visita a Maternidade Evangelina Rosa      
Na manhã de segunda-feira (14), a Promotora de Justiça Cláudia Seabra, titular da 12ª Promotoria de Justiça de Teresina, fez uma visita à Maternidade Dona Evangelina Rosa para averiguar o cumprimento de TAC firmado em 2012 com Estado do Piauí, que previa estruturação de aparelhagens e de profissionais da saúde.

Durante a visita, foi realizada uma reunião com a diretoria do Hospital e membros do Conselho Estadual de Saúde para avaliar o quadro. Algumas melhorias foram constatadas, como a diminuição de óbitos e reforma de setores importantes, como as UTIs.

No entanto, verificou-se que não foram cumpridas as cláusulas relativas à contratação de pessoal de diversas especialidades. A diretoria da maternidade afirmou que no início do ano a prioridade era pagar os valores atrasados, e que no momento está tendo dificuldades por conta da situação financeira do Estado e da própria maternidade.

Há ainda o agravante de não se encontrar profissionais interessados em quantidade suficiente, devido à remuneração pouco atrativa. Foi destacado ainda que existem graves problemas na rede de atendimento dos municípios do interior. Pacientes são transportados para a maternidade Evangelina Rosa sem assistência adequada, além de terem atendimento inadequado na cidade de origem, seja por conta de falta de profissionais ou de estrutura dos hospitais. Isso teria acarretado muitos dos óbitos da maternidade, a maioria em menos de 12 horas de internação dos pacientes.

A Promotora de Justiça recolheu informações para subsidiar as providências legais que devem ser tomadas a partir de agora, no tocante às cláusulas do TAC que não foram cumpridas e aos novos problemas encontrados. Fonte: MP/PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário