quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

PGR inaugura a sede do MPF em Teresina

Procurador do MPF, Marco Aurélio e Rodrigo Janot, da PGR
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e o procurador-chefe da Procuradoria da República no Piauí, Marco Aurélio Adão, presidiram a solenidade de inauguração da nova sede da Procuradoria da República no Piauí, hoje, 10, em Teresina. Em seu discurso o procurador-geral destacou a importância desse momento para a sociedade piauiense.

Segundo Janot, o MPF em Teresina passa a ter identidade própria. “Aqui está a casa da cidadania, onde o cidadão encontra tutela e ouvido para seus reclames. Vamos continuar a cumprir nossa missão de reafirmar diariamente nossos compromissos na defesa dos direitos constitucionais”, afirmou.

Ainda em sua fala, o PGR comparou a corrupção a um esgoto que desvia dinheiro público da saúde, educação e segurança pública para atender a interesses inconfessáveis. Ele ainda destacou o momento que vive a instituição com a “campanha 10 medidas contra a corrupção”.

“Precisamos de 1,5 milhão de assinaturas para queos projetos de iniciativa popular possam sensibilizar o Congresso Nacional. Estamos com aproximadamente 900 mil assinaturas. A estrada é longa mas é possível”, frisou.

Em sua fala, o procurador-chefe, Marco Aurélio Adão, agradeceu o procurador-geral da República, secretário-geral do MPF, membros, servidores e todos que contribuíram para tornar o edifício do MPF em Teresina uma realidade.

Ele fez uma pequena retrospectiva da história do MPF no estado, destacou a expansão a instituição com as cinco Procuradorias da República nos Municípios e o crescimento do seu corpo funcional. Por fim, enalteceu a bravura do povo piauiense.

Também participaram da solenidade a governadora do Estado do Piauí, em exercício, Margarete Coelho, o desembargador federal do Tribunal Regional Federal, Carlos Pires Brandão, o procurador-geral de Justiça, Cleandro Moura, o procurador-geral do Município de Teresina, Cláudio Rêgo, membros do MPF e MP e representantes de diversas instituições públicas. Fonte: Ascom/MPF/PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário