quarta-feira, 13 de abril de 2016

TERESINA: Vereador pede que Eletrobras-PI e Agespisa renegociem dívidas de consumidores

 
Vereador Paulo Roberto da Iluminação reunidos com moradores que enfrentam débitos 

O vereador Paulo Roberto da Iluminação (PTB) encaminhou ofícios à Eletrobras Distribuição Piauí e à Agespisa solicitando a elaboração de um plano de renegociação de dívidas destinado a atender pessoas físicas e jurídicas, sobretudo as famílias de baixa renda da capital.

O parlamentar pondera que o plano será benéfico tanto para os consumidores, que poderão quitar seus débitos mais facilmente, quanto para as duas empresas estatais, que terão um reforço em seus caixas, com a entrada de recursos a fundo perdido, ou seja, sobre os quais não há qualquer expectativa de retorno.

Paulo Roberto argumenta que a crise econômica fez com que inúmeras famílias se endividassem e ficassem inadimplentes, deixando de pagar contas de água e energia elétrica para poder manter outras despesas essenciais, como a alimentação, remédios e educação.

"Diante das demandas apresentadas nas audiências publicas realizadas na Câmara, e vendo a situação critica por que passa o país, com o crescimento da taxa de desemprego, solicitamos que a Eletrobras e a Agespisa proporcionem aos consumidores condições especiais de renegociação das dividas, apesar de reconhecer que as duas empresas já fizeram programas semelhantes anteriormente", destaca o presidente do diretório municipal do PTB.

Paulo Roberto ressalta, ainda, que nos primeiros meses do ano as famílias costumam ter despesas extras, como IPTU, imposto de renda e gastos com materiais escolares, o que torna ainda mais importante que os consumidores de baixa renda tenham a oportunidade de negociar seus débitos com condições especiais junto aos órgãos credores.

O vereador sugere às empresas que os consumidores de baixa renda possam parcelar em até 60 vezes o pagamento das suas dívidas, com carência de até um ano para a primeira parcela e a imediata remoção dos nomes dos inadimplentes dos órgãos de análise de crédito, SPC e Serasa.

Já para as demais pessoas físicas e jurídicas, o petebista propõe que as empresas também aceitem parcelamentos de até 60 meses, com entrada de 5% e carência de seis meses para o pagamento da primeira parcela.

Antes de encaminhar os ofícios à Eletrobras-PI e à Agespisa, Paulo Roberto discutiu as propostas com lideranças comunitárias de diversos bairros da capital, que consideraram as condições satisfatórias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário