terça-feira, 17 de maio de 2016

TIMON: Mãe que viu filha ser estuprada ainda não sabe sobre morte, diz delegado

Mecânico Antônio Lucas da Silva Carvalho, pai de Maria Anielly Carvalho
O pai da jovem que foi estuprada e morta em Timon (MA) falou durante o velório da filha - que acontece neste terça-feira (17) no Parque Alvorada – e disse que a família está abalada com a tragédia. O mecânico Antônio Lucas da Silva Carvalho, pai de Maria Anielly Carvalho, disse que a maior tristeza da família é que Anielly, 22 anos, morreu no dia de seu aniversário e a mãe - ainda internada - não poderá acompanhar o velório e o enterro da própria filha. O delegado Ricardo Freire, da Delegacia de Homicídios de Timon, que investiga o caso, também confirmou que a mãe não sabe da morte da filha.

Maria Anielly e sua mãe, Elizabete Carvalho, 37 anos, foram abordadas na noite de domingo (15), no Parque Alvorada, em Timon (MA), durante uma tentativa de assalto. Na ação, o criminoso estuprou a moça e esfaqueou mãe e filha. A jovem morreu no local e a mãe foi socorrida e levada para o HUT, em Teresina.

"Ela tinha comprado uma pizza para comemorar o aniversário, e estava indo na minha casa deixar um pedaço para a irmã dela, quando pegaram ela na esquina de casa. A gente nem sabe direito como aconteceu. Só soube da notícia um tempo depois. Ela estava morta e a mãe muito machucada", disse o pai.

Além de Anielly, o mecânico tem mais dois filhos, mais velhos que a vítima. O velório acontece no bairro Parque Alvorada, onde a jovem morava com a mãe. O sepultamento também será em Timon. Anielly foi assassinada a duas quadras de onde mora.

Polícia não tem suspeitos

O delegado Ricardo Freire, da Delegacia de Homicídios de Timon (MA), informou hoje, que ainda não tem suspeitos do homicídio de Maria Anielly Carvalho e do autor das graves lesões contra sua mãe, Elizabete Carvalho, 37 anos.

A mãe da jovem ainda não recebeu alta do hospital e não acompanhará o velório e o sepultamento da filha. O delegado explicou que a mãe será ouvida somente daqui a alguns dias, porque ela ainda está em estado de choque e apresenta ferimentos graves.


"Ela não está em condições de falar e nós não temos ainda nenhum suspeito. Vamos esperar que ela esteja recuperada porque qualquer detalhe é muito importante para a investigação. Além da questão física, tem também a emocional. Por isso, ainda não foi informado a ela que a filha faleceu", declarou o delegado. A informação de que a mãe não sabe da morte de Anielly foi confirmada pelo pai.

Ricardo acrescentou que a única informação sobre o suspeito do crime foi dada por Elizabete. Ela disse que já tinha visto o homem pela vizinhança do bairro Parque Alvorada, onde o crime ocorreu. O delegado destacou, no entanto, que o autor do homicídio não é uma pessoa próxima da vítima.

"Não foi um crime premeditado. Ele não tinha relação com as duas vítimas. Ele abordaria qualquer pessoa que estivesse passando no momento", argumentou.

Estado de Saúde

O Hospital de Urgência de Teresina (HUT) informou que Elizabete ainda não tem previsão de alta e passou por cirurgia devido às várias lesões pelo corpo. O quadro de saúde é estável, ela está consciente, mas um pouco agitada. O HUT informou também que ela passará por nova cirurgia porque as facadas atingiram nervos e tendões, o que pode comprometer seus movimentos.  Fonte: Cidade Verde

Nenhum comentário:

Postar um comentário