sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Ministro Maurício Quintella assina ordem de serviço para pavimentação da BR 226 em Timon

Quintella participa de assinaturas de ordens de serviço para duplicação de trecho da BR-135 e pavimentação do último trecho não pavimentado das BRs 226 e 316 no estado do Maranhão


Alinhado às determinações da Presidência, em relação à priorização das obras de infraestrutura no Nordeste do País, o ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella, cumpriu uma extensa agenda, nessa quinta-feira (5/1), no Maranhão. Em Bacabeira, interior do estado, o ministro participou da assinatura da ordem de serviço para a duplicação de trecho da rodovia BR-135, de onde seguiu para o município de Timon, onde outra ordem de serviço autorizou o início das obras de pavimentação de trecho da BR-226 e do contorno da cidade, referente à BR-316. Na ocasião, Quintella também percorreu 25 quilômetros da BR-135, além de visitar o Porto de Itaqui, na capital.

Para a duplicação do trecho da BR-135, o governo federal investirá R$ 66,5 milhões. Deste valor, R$ 25 milhões já foram empenhados no final de dezembro de 2016. O trecho, compreendido entre o povoado de Outeiro e a cidade Miranda do Norte, possui de 32,1 quilômetros. O trecho de 44,7 quilômetros, entre Bacabeira e Outeiro, está em fase de contratação e, em breve, terá ordem de serviço decretada. A expectativa é de que em três meses as obras no local sejam iniciadas.

 TIMON 

   Ministro Mauricio Quintella durante discurso em Timon

Em Timon, a pavimentação asfáltica cobrirá 111,5 quilômetros das rodovias BR-226 e BR-316 no município. Este é o último trecho sem pavimento entre as capitais São Luís (MA) e Teresina (PI). Para estas obras, será gasto o total de R$ 88,5 milhões. Deste valor, o Ministério já empenhou R$ 42,8 milhões, além da previsão de R$ 50 milhões referente ao orçamento de 2017.

Os valores já empenhados, para ambas as obras, conferem o início imediato das obras pela empresa vencedora dos processos de licitação, a Hytec. 

Ministro Maurício Quintella no ato de assinatura da ordem de serviço

"Estamos começando as ações do Ministério deste ano, especialmente, pelo Nordeste, onde, há décadas, a falta de infraestrutura tem sido uma das grandes responsáveis pelas mazelas sociais que assolam os estados da região. As cidades do interior são especialmente atingidas pelas dificuldades de acesso, o que têm causado o atraso do desenvolvimento socioeconômico de diversos municípios”, destacou o ministro.

As obras nas rodovias, além de proporcionar maior segurança e trafegabilidade e diminuir os preços de fretes, serão responsáveis por intensificar a integração regional. No caso da BR-226, com o asfaltamento do trecho, 37 cidades maranhenses ficarão ainda mais próximas, em razão do encurtamento do tempo de viagem entre elas.

Considerada uma área de risco, o trecho da BR-135 que será duplicado tornará o percurso mais seguro para o turismo e para o transporte de cargas. A obra, paralisada durante 4 anos, foi retomada e tem previsão de entrega em meados de 2017.

O ministro também conferiu a situação da Ponte do Estreito dos Mosquitos, na BR-135. Em razão de rachaduras apresentadas na estrutura, Quintella declarou estado de emergência para os reparos do segmento. Segundo ele, simultaneamente à realização destas obras, será feito o projeto para a recuperação total da Ponte.

Visitas técnicas – Na chegada em São Luís, o ministro Quintella fez uma vistoria no trecho de 25 quilômetros da BR-135 até Bacabeira. Após o ato de assinatura da ordem de serviço, seguiu para o Porto de Itaqui para conhecer as obras de construção do Berço 108, onde foram investidos R$ 70 milhões.

As obras para o novo Berço compreendem em ponte de acesso, plataformas de transição e operações, passarelas de ligação, píer para rebocadores e dolfins de atracação e amarração para navios de grande porte, de até 91.671 TPB (tonelada porte bruto). A entrega do novo Berço ampliará a capacidade de movimentação de granéis líquidos em 40%.


Segundo o ministro Quintella, as obras no estado têm grande relevância para o eixo Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia), uma vez que irão melhorar o tráfego entre os estados e a fluidez do escoamento de produção da região. “O Maranhão é um estado estratégico para a redistribuição logística do país, atraindo mais investidores para a utilização do corredor norte, equilibrando a matriz logística que ainda utiliza os portos mais ao sul para saída de bens e insumos do país”, afirmou. Fonte: Ascom/MTPA

Nenhum comentário:

Postar um comentário