quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Anderson Pêgo levanta suspeitas e defende CPI para apurar gastos com o “Lixão de Timon”

 Anderson Pêgo bota quente na gestão de Leitoa
Em seu primeiro pronunciamento de estreia na sessão ordinária desta quarta-feira (8/2), na Câmara Municipal de Timon, o vereador Anderson Pêgo (PRB), deixou bem claro que vai fazer oposição contundente à segunda gestão do prefeito Luciano Leitoa (PSB), iniciada no dia 1º de janeiro de 2017.

 Em tom firme e corajoso, Pêgo disse que ficou indignado com a postura fraca de Leitoa durante o discurso vazio de abertura da atual legislatura na segunda-feira (6/2), quando não disse nada sobre suas metas administrativas para 2017, uma vez que o projeto de orçamento está previsto em torno de R$ 410 milhões. “Na verdade, o prefeito Luciano Leitoa desrespeitou o Poder Legislativo e, sobretudo, a população de Timon que quer saber dos futuros investimentos para este ano. Em síntese, ele fez muito blá, blá, blá e não disse nada de concreto fazendo apenas propaganda de suas realizações no passado. Pelo jeito, é um governo sem projetos”, alfinetou o vereador Anderson Pêgo.

O parlamentar do PRB questionou porque o prefeito Luciano Leitoa não fala dos gastos excessivos de R$ 5 milhões com a empresa Sofia Comunicação na área de propaganda institucional do seu governo.  Anderson Pêgo cobrou ainda explicações sobre os valores de R$ 60 mil/mês pagos para o funcionamento do aterro sanitário, ou seja, o Lixão de Timon, que causou sangria aos cofres públicos em mais de meio milhão de reais (algo superior a R$ 540 mil reais ao longo do ano de 2016).  

Ao final do discurso, o vereador Anderson Pêgo sugeriu a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI, visando apurar as suspeitas de superfaturamento no contrato de aluguel do terreno onde funciona o Lixão de Timon. Logo depois o assunto ganhou proporção  e alguns chamam de “CPI do Lixão”. Pelo jeito, vai feder muito e incomodar alguns figurões!!! 


Nenhum comentário:

Postar um comentário