sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

NEGÓCIO DA CHINA: Lixo em Timon vira sinônimo de riqueza e vantagem para alguns exploradores “sortudos”


Entenda bem o que é: Lixo (substantivo masculino). 1- Qualquer material sem valor ou utilidade, ou detrito oriundo de trabalhos domésticos, industriais etc. que se joga fora; 2 - Tudo o que se retira de um lugar para deixá-lo limpo.  Até ai, tudo bem: durante sete meses de maio a dezembro de 2016, a empresa “sortuda” foi a Pralimpar Comércio e Distribuidora de Produtos, com sede no Bairro Saci, em Teresina (PI), pois recebeu algo em torno de R$ 267.800,00 pelo fornecimento de sacos de lixo para a Superintendência de Limpeza Pública e Urbanização (SLU), de Timon.  Os sacos, segundo a nota de empenho, foram utilizados nos serviços de limpeza de vias públicas e conservação de cemitérios.

Para isso, foi firmado contrato de nº 05/2016, com base na modalidade Pregão Presencial nº 011/2016. O Blog Ademar Sousa dispõe do nº do empenho - 404401, da nota de pagamento à referida empresa, cuja fonte de recursos é do próprio Município de Timon.

Terreno do Lixão de Timon com suspeita de favorecimento e superfaturamento


Como se não bastasse à questão de tanto dinheiro na compra de sacos de lixo em tão pouco tempo. Agora, pipocou outro escândalo envolvendo a gestão do prefeito Luciano Leitoa (PSB). Desta vez, o vereador Anderson Pêgo (PRB), denunciou em pronunciamento da tribuna da Câmara Municipal de Timon, que o atual gestor municipal reeleito pagou simplesmente R$ 540.000,00, ou seja, mais de meio de meio de milhão de reais, em 2016, correspondente ao aluguel no valor de R$ 60.000,00/mês, do terreno onde é despejado o lixo recolhido na cidade.

O vereador Anderson Pêgo em rápido contato com o titular deste blog prometeu investigar a fundo o contrato de aluguel. O caso deverá ser levado ao Ministério Público do Estado - MPE para análise criteriosa a fim de que o proprietário do imóvel forneça detalhes dessa transação suspeita de favorecimento com o dinheiro público. O valor chega a ser assustador levando-se em conta que é uma propriedade rural. Diante disso, em Timon, o melhor negócio é comprar terreno e alugar para a Prefeitura. Nesse sentido, chega até ser melhor do que vender propriamente o terreno, visto que o aluguel rende muito mais num verdadeiro negócio da China.  



Nenhum comentário:

Postar um comentário