segunda-feira, 26 de junho de 2017

Danisio Marabuco diz que ficou decepcionado com decisão de Flávio Dino e admite deixar o PCdoB para disputar mandato eletivo em 2018



Médico Danisio Marabuco 

Nesta segunda-feira (26/6), o ex-diretor geral do Hospital Alarico Pacheco, de Timon (MA), ex-vice prefeito e médico Danisio Marabuco, demitido pelo governador Flávio Dino (PCdoB), no início deste mês, disse em entrevista exclusiva ao Blog Ademar Sousa, que não houve surpresa nessa decisão  política. Segundo ele, o governador Flávio Dino apenas cedeu às pressões do grupo político que comanda a Prefeitura de Timon.

 “Não houve surpresa política para mim, a minha exoneração da direção do Alarico Pacheco,  pois, o peso político do grupo que comanda atualmente o município de Timon, preside um dos grandes partidos políticos da base aliada Dinista e que tem, o seu deputado estadual, como líder da bancada governista na Assembleia Legislativa do Maranhão (ALEMA), foram suficientes para convencerem o governador Flávio Dino a deixar de lado um aliado de primeira hora (Eleições de 2010 e 2014) e peça de fundamental importante na construção da aliança para a eleição, do atual Governador, no último pleito estadual. Porém, fiquei decepcionado com a condução política da aliança que ajudei a conquistar o poder estadual maranhense. Infelizmente, vivemos um retrocesso e mesmice no "modus operandi" da política brasileira, seja por governos de esquerda, centro ou direita”, alfinetou ele. 

Danisio Marabuco lamentou o fato da demissão de um profissional com perfil e conhecimento técnico, bem avaliados pela sociedade e resolutivos, em especial na saúde,  às vezes, é substituído em face da ganância de políticos "inescrupulosos" que,  se arvoram de funções públicas para seus auxiliares, sem estes terem o devido preparo e conhecimento na área e,  somente, com a intenção de se perpetuarem no poder, usando os serviços públicos como moeda de troca por votos  em face da fragilidade dos potenciais eleitores, doentes e necessitados de toda sorte.

Pela primeira vez, após a demissão da direção geral do Hospital Alarico Pacheco, o médico Danisio Marabuco, admitiu disputar um mandato eletivo em 2018 por outra agremiação partidária fora o PCdoB, partido de Flávio Dino. Leia na íntegra a entrevista.

Blog Ademar Sousa - O senhor ficou "surpreso" com a sua exoneração do Hospital Alarico Pacheco? 

 Danisio Marabuco -  Exerci com determinação e dedicação a função de diretor geral do Hospital Alarico Pacheco por dois anos e cinco meses. Cargo em comissão e de livre nomeação do Governador do Estado.   Nos últimos cinco meses, rumores nos bastidores políticos maranhense, indicavam que o grupo situacionista do nosso município pleiteava, incessantemente, a direção geral do Alarico Pacheco. Não houve surpresa política para mim, a minha exoneração da direção do Alarico Pacheco,  pois, o peso político do grupo que comanda atualmente o município de Timon, preside um dos grandes partidos políticos da base aliada Dinista e que tem, o seu deputado estadual, como líder da bancada governista na Assembleia Legislativa do Maranhão (ALEMA), foram suficientes para convencerem o governador Flávio Dino a deixar de lado um aliado de primeira hora (Eleições de 2010 e 2014) e peça de fundamental importância na construção da aliança para a eleição, do atual Governador, no último pleito estadual. Uma vez que, deixei a minha candidatura de deputado estadual, bem avaliada à época, para atender a um pedido da direção do PC do B, abdicando daquela pretensão e facilitando a construção da aliança proporcional com influência na chapa majoritária de Flávio Dino.

Blog Ademar Sousa -  O senhor saiu magoado com o governador Flávio Dino?    

Danisio Marabuco -  Magoado não, porém, decepcionado com a condução política da aliança que ajudei a conquistar o poder estadual maranhense. Infelizmente vivemos um retrocesso e mesmice no "modus operandi" da política brasileira, seja por governos de esquerda, centro ou direita.  Onde,  gestores com conhecimento técnico, bem avaliados pela sociedade e resolutivos, em especial na saúde,  são substituídos em face da ganância de políticos "inescrupulosos" que,  se arvoram de funções públicas para seus auxiliares, sem estes terem o devido preparo e conhecimento na área e,  somente, com a intenção de se perpetuarem no poder, usando os serviços públicos como moeda de troca por votos  em face da fragilidade dos potenciais eleitores, doentes e necessitados de toda sorte.

Blog Ademar Sousa -  O senhor não quer mais participar do Governo Flávio Dino? É candidato há algum cargo eletivo em 2018?   

Danisio Marabuco - Prezado Ademar Sousa, sou médico por formação e, por isso,  fiquei dois anos e cinco meses (janeiro/2015 a maio/2017) como diretor geral do Hospital Alarico Pacheco, que foram dedicados  "voluntariamente" aos nossos usuários, servidores e colegas de trabalho, realizando atividades propositivas que foram,  amplamente,  divulgadas nas redes sociais. Assim, efetivei um acesso mais justo, igualitário e humano aos serviços públicos de saúde naquela unidade hospitalar, onde, não tivemos nenhum comentário, na imprensa local, que desabonasse a nossa gestão à frente do Hospital Alarico. Convido aos amigos, visualizarem, o nosso trabalho realizado no Hospital Alarico Pacheco acessando o Facebook Danisio Marabuco. Estarei sempre à disposição do nosso povo e, quem sabe!  Disputando um mandato eletivo em 2018, por outra agremiação partidária. 

Médico Danisio Marabuco com Flávio Dino em campanha para conquistar o Poder 


Nenhum comentário:

Postar um comentário