quinta-feira, 27 de julho de 2017

Simplício Araújo teme que aumento na conta de energia do presidente Temer gere desemprego no Maranhão


                                                                                  Secretário Simplício Araújo

Contrário ao aumento na tarifa de energia elétrica proposto pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o governo do Maranhão teme que o impacto do reajuste para a população e negócios locais possa gerar desemprego e dobre a previsão da inflação estadual para o mês de julho.

A Aneel anunciou ainda no mês passado que as contas de luz dos brasileiros terão um custo adicional de R$ 2 a cada 100 kilowatts-hora de eletricidade consumidos em julho, com a introdução da bandeira amarela. Segundo a agência reguladora, isso ocorre em virtude do alto custo da energia elétrica no país.

Para o governo do Estado do Maranhão, com a atual recessão econômica do país, muitas empresas maranhenses serão impactadas caso o reajuste ocorra.

Ainda que o Maranhão apresente boa situação fiscal e ambiente favorável aos negócios, os impactos do aumento na tarifa certamente serão sentidos por todos, entre consumidores e empreendedores.

O aumento é considerado preocupante e a administração estadual diz que busca soluções para amenizar os efeitos negativos do reajuste.

“O Governo está preocupado diante desse quadro. Estamos buscando alternativas, soluções, para que o povo do Maranhão não saia prejudicado”, ressaltou o secretário estadual de Indústria, Comércio e Energia, Simplício Araújo.

*Alternativas para o impasse*

Recentemente, equipes do governo Flávio Dino estiveram reunidas com gestores da Cemar para tentar minimizar os possíveis impactos. Além disso, foi formalizado junto a executivos da Aneel em reunião, um pedido de suspensão da audiência pública que discutiria a questão. A audiência está suspensa pela justiça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário