segunda-feira, 9 de outubro de 2017

TIMON: Secretário de Saúde acompanha trabalhos na Vigilância Sanitária


O secretário municipal de Saúde de Timon, Marcio Sá e a diretora administrativa, Isadora Tabatinga, estiveram na Vigilância Sanitária do município para fazer uma reunião com os profissionais da unidade, bem como um acompanhamento das atividades de rotina desenvolvido pelos funcionários. Na oportunidade, o gestor apresentou oficialmente a coordenadora da Vigilância em saúde e a nova diretora da Vigilância Sanitária.

“Visitamos a Vigilância Sanitária com o propósito de os funcionários para saber sobre as demandas e necessidades daquele órgão. Ao longo da nossa atuação como secretário venho acompanhando as diversas unidades que estão sob o comando da Secretaria de Saúde e a Vigilância não podia ficar de fora”, disse o gestor.

Vigilância Sanitária

As ações de Vigilância Sanitária devem promover e proteger a saúde da população e serem capazes de eliminar, diminuir ou prevenir riscos à saúde e intervir nos problemas sanitários decorrentes do meio ambiente, da produção, da circulação de bens e da prestação de serviços de interesse da saúde.

Na zona rural animais recebem vacinação antirrábica


Os povoados Santa Amélia e São Cristovão receberam no último fim de semana a Unidade de Vigilância em Zoonozes (UVZ), que esteve realizando a vacinação intensificada de cães e gatos contra raiva. As equipes de profissionais estiveram nos povoados com o propósito de aplicar a vacina de dose única nos animais destas regiões.

A secretaria Municipal de Saúde de Timon vem traçando estratégias a médio e longo prazo para combater o calazar no município. "Os trabalhos na zona rural continuam e vamos intensificar mais ainda para evitar a proliferação do mosquito transmissor da doença. Assim faremos não só a vacinação, mas também o monitoramento dos cães que podem transportar o parasita", explicou o Marcio Sá.

A doença

A raiva é transmitida aos animais domésticos através da mordedura de outro animal contaminado. O contágio se dá pela saliva, que transmite o vírus da raiva. Ao morder o ser humano ou nossos animais de estimação, o vírus é inoculado rapidamente, ocorrendo dessa forma o contágio.

O período de incubação nos animais é, em geral, de 15 dias a dois meses. Eles apresentam mudança de comportamento, escondem-se em locais escuros ou mostram uma agitação inusitada. Após um a três dias, ficam acentuados os sintomas de agressividade e a salivação torna-se abundante, uma vez que o animal é incapaz de deglutir sua saliva, em virtude da paralisia dos músculos da deglutição. Fonte: Ascom/Sems  


Nenhum comentário:

Postar um comentário