quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

SEGURANÇA: Mortes por crimes de ódio sofrem redução no Piauí

Grupo reunido na SSP-PI

O Grupo de Trabalho LGBT se reuniu na manhã da última segunda-feira (22), na Secretaria de Segurança, para avaliar os projetos desenvolvidos durante os 4 anos de existência do grupo. O GT é constituído pela SSP-PI, representantes da Polícia Civil, Militar, Corpo de Bombeiros e grupos da sociedade civil como o Matizes.

O grupo notou uma diminuição significativa no número de assassinatos de LGBT por crime de ódio. “Estamos cada vez mais criando esse vínculo de enfrentamento à discriminação, junto ao governo do estado e reafirmando nosso compromisso. É muito gratificante esse retorno do poder público em relação às políticas LGBTs. Em 2014 nós tivemos mais de 10 casos de LGBTs assassinados por crimes de ódios. 2015 e 2016 não tivemos ocorrências. Em 2017 tivemos 2 casos. A gente consegue amenizar a violência por meio da efetivação do Grupo de Trabalho”, como afirma a coordenadora do Matizes, Marinalva Santana.

O objetivo do GT é capacitar e informar os profissionais de segurança sobre o tratamento adequado e necessidades da população LGBT. Para a Capitã Enyra Viviane é um grupo que trabalha políticas para mitigar a violência. “Nossas formações envolvem também Ministério Público e Poder Judiciário. No interior do estado, chegamos a envolver até as lideranças comunitárias no intuito de desenvolver uma sensibilidade em relação às minorias e acabar com o preconceito. Sensibilizar os profissionais de segurança pública quanto ao tratamento e a condução da população LGBT nas ocorrências que encontrarem no seu dia a dia de trabalho”, informou.

Para o secretário de Segurança Pública. Cap. Fábio Abreu, a redução de quase 80% no número de mortes por crime de ódio é fruto do trabalho árduo e do diálogo. “Essa parceria tem sido muito proveitosa, no que diz respeito a conscientização evalorização dos nossos profissionais. Temos treinamentos, capacitações. E o resultado tem sido um trabalho forte, mais efetivo, mais direcionado e mais produtivo”, concluiu o secretário Fábio Abreu. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário