quinta-feira, 21 de junho de 2018

MA: Márcio Jerry provoca discórdia e homem de confiança de Flávio Dino deixa o PCdoB

Governador Flávio Dino e o assessor Paulo Guilherme 

A postura do ex-secretário Márcio Jerry à frente do PCdoB do Maranhão levou o governador Flávio Dino a perder um de seus homens de confiança. O advogado Paulo Guilherme de Araújo, que veio de Brasília para ser um dos homens fortes de Dino, apresentou carta de desfiliação do PCdoB depois de 20 anos como filiado da legenda. Em sua breve carta, Paulo diz que vinha sendo minado politicamente dentro do partido por Márcio Jerry, desde que  comanda a estrutura comunista no Maranhão.
                                                   
“Alguns fatos políticos desagradáveis, para afirmar o mínimo, relacionados à minha relação de militância sob a gestão do presidente Márcio Jerry, notadamente fatos que suscitam questões relacionadas aos fatores de confiança e desconstrução de minha imagem, me fizeram entender que não há mais ambiente político, pra minha permanência nos quadros de filiados do PCdoB, portanto, necessária minha saída”, afirmou Paulo Guilherme de Araújo em carta ao PCdoB.


Guilherme iniciou sua relação política – e de amizade com Flávio Dino – quando o comunista do Maranhão assumiu o comando da Empresa Brasileira de Turismo (Embratur), no início do primeiro mandato da então presidente Dilma Rousseff (PT).

Até então assessor do então ministro dos Esportes, Orlando Silva, ele foi para Embratur auxiliar Dino, sendo nomeado chefe de gabinete. Além da relação de trabalho na empresa, as relações partidárias e também de amizade se estreitaram o que levou Dino a trazer Guilherme para o Maranhão logo após ser eleito governador, em 2014.

Araújo foi nomeado presidente da Comissão Central de Licitação (CCL), cargo que ele foi exonerado após pedido. Depois da exoneração – que levou a questionamento da direção nacional ao núcleo estadual do PCdoB – Paulo Guilherme foi nomeado assessor especial do gabinete de Dino.

Por ser homem de confiança do governador, Paulo Guilherme entrou em rota de colisão com Márcio Jerry, que – segundo apurou O Estado – usou toda a estrutura partidária para defenestrar Paulo Guilherme ao ponto de evitar compartilhamento de informações da legenda com o então assessor do governador.

Os boicotes políticos (e também dentro da gestão comunista) acabaram levando Paulo Guilherme de Araújo a pedir desfiliação do PCdoB. A previsão é de que ele também peça exoneração do cargo de assessor especial e volte ao Rio de Janeiro, de onde é natural.

A carta de desfiliação de Paulo Guilherme já trouxe questionamentos da direção nacional que busca saber os motivos para atitude radical de um militante que pertence aos quadros do partido há 20 anos. Ou seja, um membro que chegou ao PCdoB antes mesmo de Flávio Dino e Márcio Jerry que pertenciam, na verdade, ao PT até 2006. (Com informações do Blog do Gilberto Léda/O Estado do Maranhão).

Nenhum comentário:

Postar um comentário