quinta-feira, 7 de junho de 2018

Obra da Ceasa: despejo revolta os permissionários e mulher diz que Luciano Leitoa “vai ganhar no inferno”

Prefeito de Timon, Luciano Leitoa (PSB)

Desde a quarta-feira (06/06), em Timon (MA), a polêmica em torno do início da obra de reforma e requalificação da Ceasa ganhou dimensão negativa entre os mais diversos segmentos da sociedade timonense, principalmente nas redes sociais, depois da reação contrária dos 32 permissionários que foram surpreendidos com um Edital de Notificação expedido pelo secretário Municipal de Desenvolvimento Rural, Allison André de Souza Gomes, dando prazo a todos eles de 48 horas para a remoção voluntária (desocupação) da área.


Diante de tal medida urgente, os permissionários ficaram sem entender a pressa do prefeito Luciano Leitoa (PSB) para o início da obra na Ceasa, em período pré-eleitoral, visto que não houve sequer nenhuma discussão sobre o assunto em audiência pública na Câmara Municipal de Timon. A decisão chamou a atenção de muitos curiosos e especialistas no assunto, quando se trata do alto volume de recursos a serem investidos no convênio firmado pelo Governo do Estado do Maranhão, na ordem de R$ 7.469. 813,34, tendo a contrapartida do Município de R$ 373.490,67. Neste caso, o Estado entrará com R$ 7.096.322,68. Parte dos recursos de R$ 700.000,00, já foram liberados. Há vários questionamentos nos prazos e vedações em relação a conclusão da obra de reforma e requalificação da Ceasa. Por outro lado, há quem diga que a referida obra é um sonho do ex-prefeito Chico Leitoa, pai do atual prefeito Luciano Leitoa.


Nessa pressa toda. A desconfiança dos permissionários da Ceasa aumentou baseada no descumprimento do prefeito Luciano Leitoa que despejou também apressadamente há mais de dois anos, os feirantes do Mercado Velho Graça, no bairro Parque Alvorada, visando a reforma incluindo cobertura e melhoramento do piso. Na época, apesar do prefeito Leitoa ter assinado um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), junto ao Ministério Público do Estado – MPE, mesmo assim, não levou a sério a conclusão da obra que prejudica até os dias atuais os trabalhadores que vivem na informalidade sem emprego.

Feirante Ana Cleide da Silva, desabafa contra o prefeito Leitoa 

A feirante Ana Cleide da Silva, com problemas de saúde, em depoimento gravado em vídeo, indignada soltou os cachorros contra o prefeito Luciano Leitoa. Cleide entende que ele está fazendo covardia com os pais e mães de famílias sem empregos. “O Luciano vai ganhar no inferno”, disse em tom de revolta a feirante.

No tocante ainda a Ceasa de Timon, segundo alguns permissionários, a demora da obra, – em torno de seis a oito meses -, irá deixá-los sem alternativa de subsistência, pois após a remoção dos boxes, quem trabalha na Ceasa não tem para onde ir, pois o governo não destinou nenhum local para a comercialização dos produtos durante esse período de execução da reforma. Os permissionários afirmam que não são contra a reforma, mas eles querem a garantia e um local para continuar exercendo suas atividades. Segundo eles, são mais de 30 pais e mães de famílias que ficarão nessa condição de abandono durante a execução da obra.

Para uma das permissionárias, em vídeo gravado e disponibilizado nas redes sociais, o governo “ofereceu 300 reais” para eles deixarem o local, mas não estabeleceu mais nada quanto à continuidade do trabalho deles durante a obra. “Ele (se referindo ao prefeito) está dando 300 reais somente no primeiro mês e depois quando nós sairmos, pois a gente sobrevive daqui”, disse outra permissionária. As permissionárias dizem que não houve reunião entre elas e o prefeito. “Nós não somos cachorro. Tem que fazer primeiro uma reunião com nós”….disse a permissionária na Ceasa, conforme divulgou também o Blog do Ribinha, a exemplo deste Blog Ademar Sousa.

Em nota, o prefeito Luciano Leitoa, resolveu comentar a confusão: “Volto a repetir o que disse; não será permitida a venda de bebidas alcoólicas dentro da Ceasa. Isso já foi explicado a todos que vendem bebidas, que para permanecerem com suas atividades na Ceasa após a reforma, ali terão que se adaptar a um outro ramo que seja na área alimentícia, para manter um espaço fixo dentro da Ceasa. Dentro desse propósito, vamos auxiliar na qualificação de todos, com o objetivo único de melhorar os serviços prestados e aumentar as vendas em nossa nova Ceasa”, escreveu o prefeito Luciano Leitoa.


Nenhum comentário:

Postar um comentário