segunda-feira, 25 de junho de 2018

Piauí é um dos poucos estados do Nordeste livre de facções criminosas

Ações preventivas garantiram estabilidade nos presídios do estado, diz Governo do Piauí

Imagem meramente ilustrativa 
O controle da entrada de facções criminosas no Piauí tem influenciado diretamente no número de homicídios e na segurança dentro e fora dos presídios do estado. Dados do Atlas da Violência 2018 apontam o Piauí como a unidade da federação do nordeste com o menor índice de assassinatos e a terceira com menor número de homicídios do Brasil.

O Piauí também não foi citado entre os estados onde há conflito entre facções criminosas, dentre elas o PCC (Primeiro Comando da Capital). A ausência de influência de facções está diretamente ligada ao número de assassinatos. O Atlas da Violência 2018 não identificou aumento vertiginoso no número de homicídios no Piauí, ao contrário de estados vizinhos e de fronteira como Maranhão, Ceará, Tocantins e Bahia, que registaram um aumento de mais de 70% na quantidade de homicídios.

Não foram registrados em 2018 nenhuma rebelião ou motim em unidades penais do Piauí e o número de assassinatos nos presídios caiu 40%: foram nove ocorrências em 2017 e apenas uma durante o primeiro semestre de 2018. O sistema de informações criminais e a organização policial entre as polícias Civil e Militar e a polícia penitenciária têm contribuído para um trabalhado de intenso monitoramento, realizado pelos setores de Inteligência das secretarias de Justiça e Segurança.

Secretário de Justiça do Piauí, Daniel Oliveira 
Para o secretário de Justiça do Piauí, Daniel Oliveira, o posicionamento positivo do Piauí no atlas nacional deve-se ao trabalho integrado entre as secretarias de Justiça e Segurança. “Nos últimos anos temos firmado termos de cooperação que nos proporcionam um monitoramento de inteligência eficiente e preventivo. Pretendemos fortalecer ainda mais essa realidade com a implantação do Plano Operacional de Classificação de Detentos, que nos dará maior controle sobre os presos de alta periculosidade, evitando a presença de facções nos nossos presídios, como ocorre em outros estados”, destacou

Governador do Piauí, Wellington Dias (PT) 
O governador Wellington Dias acredita que o desempenho do Piauí é fruto de um estudo técnico do Estado, balizado em gestões de referência em segurança. “Temos buscado boas experiências dentro e fora do Brasil, com intercâmbio técnico de ações a exemplo da nossa visita ao Canadá, onde pudemos ver como trabalha um país que é modelo nesta área. A ideia é modernizar e integrar nossos órgãos de segurança, e fazer esse trabalho também a nível de nordeste e de Brasil”, explicou.  Fonte: Governo do PI 

2 comentários:

  1. Sim, mas como explicar que no primeiro trimestre de 2018 o Piauí tenha sofrido mais de 600 roubos de automóvel além de mais de 5.000 assaltos ? Será mesmo que não existe nenhuma facção criminoso atuando aqui ? Então tente adar em qualquer rua da zona leste depois das 14 horas ou mesmo no centro !!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Matéria publicada na tv Clube/ Globo, link abaixo
      https://globoplay.globo.com/v/6818710/

      Excluir