quarta-feira, 28 de novembro de 2018

O que faltou?



A ação criminosa em Bacabal demonstra que o sistema de Segurança Pública do Maranhão não está tão organizado como a gestão estadual tenta passar. O episódio demonstrou que faltou o setor de “inteligência” e também contingente em um município que tem uma seguradora que distribuiu dinheiro para vários municípios do estado.

O governo tenta parecer que a ação foi de “um bando de fora do Maranhão” que atuou como se esta justificativa “justificasse” a ação dos bandidos. Ora, por mais que o bando não fosse todo do estado, ainda assim, eles conseguiram burlar a inteligência da polícia e montar um esquema que resultou no impedimento da ação da Polícia Militar.

E como o bando conseguiu isso? Simplesmente, como argumentou o Sindicato dos Policiais Civis, por falta de investimento do poder público na polícia judiciária. Há, pelo menos, dois anos a entidade vem reclamando da falta de investimento na Polícia Civil, logo, é de conhecimento público essa situação.

Torna-se notório agora a carência de investimento também na Polícia Militar, em especial, no segmento que combate assalto a banco, que faz parte de um recém-criado Batalhão de Operações Especiais (Bope), que age com estrutura deficiente.

A ação pesada ocorrida em Bacabal expôs que a operação especial da PM não tem estrutura suficiente para combater uma grande organização criminosa, seja ela daqui ou de outro estado.

O que se viu foi a ação heroica de policiais, na tentativa de sobreviver e de evitar tragédia maior numa cidade sitiada por uma quadrilha fortemente armada.

Espera-se agora que o poderoso cerco policial aos assaltantes resulte em prisões e resgate dos milhões surrupiados dos cofres do BB. Quanto à vida do inocente morto na troca de tiros com os bandidos e o medo que ficou na população de Bacabal, para isso não há solução.

Da Coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão

Nenhum comentário:

Postar um comentário