terça-feira, 11 de dezembro de 2018

TUDO PELO PODER: Luciano Leitoa retira as candidaturas de Juarez Moraes e Celso Tacoane para apoiar Torres à Presidência da Câmara de Timon

Prefeito Luciano Leitoa, o seu pai Chico Leitoa e o vereador Torres 

 
Na política é assim mesmo, Vale Tudo pelo Poder e, em Timon, não é diferente para o grupo Leitoa que há décadas se mantém no Poder. Ou melhor, exercendo o domínio da cidade e agora corre um sério risco de perder o Poder, em se tratando da eleição da Mesa Diretora da Câmara Municipal. Assim, desde o mês de  fevereiro deste ano, o governo Leitoa agoniza para obter a maioria dos votos e até o momento não conseguiu essa proeza.

SEM ALTERNATIVA

O prefeito Luciano Leitoa (PSB) depois de duas tentativas sem êxito, sendo a primeira  o  caso da candidatura fracassada no andar da carruagem do vereador Juarez Moraes (SD), e logo depois, a segunda candidatura que também não decolou a do outro aliado Celso Tacoane (PCdoB).

E a novela ganha mais um novo capítulo. Agora, é o vereador Francisco Torres (MDB) que foi convidado a sair do bloco de oposição, o G12, para ser o candidato da base governista à Presidente da Casa. Nesse sentido, Torres empolgado pelo cargo e sem medir as consequências futuras no impulso aceitou o convite.

MISSÃO DE TORRES

Nos bastidores, há quem diga que Torres mesmo com o apoio do governo municipal não tem chance de vencer a eleição. Mas, diante disso, o governo Leitoa passou a ter uma missão ousada de retirar mais um voto do antigo G12. Porém, Torres já está de orelha em pé, segundo alguns colegas de parlamento, anda arrependido chegando a desconfiar do grande presente  que antecede o Natal.
  
AFINAL, QUEM SERÁ A PRÓXIMA VÍTIMA?

 E hoje o assunto dominou as rodas de conversas. E mais outro detalhe: ninguém acredita na candidatura de Torres, pois acham alguns observadores, que é uma grande contradição do governo retirar seus antigos aliados para colocar o recém-chegado Torres que até o momento só recebeu apenas elogios do vereador José Carlos Assunção, enquanto que o restante do grupo politico liderado pela família Leitoa não se manifestou sobre o assunto. Os outros parlamentares governistas estão estranhando tal atitude.

 MDB E SOCORRO WAQUIM
  
E o mais grave nisso tudo. É que, Francisco Torres não tem o aval de Socorro Waquim e nem muito menos do seu partido, o MDB, para se aliar com o governo municipal nessa candidatura extremamente fora de cogitação na avaliação da oposição.  Segundo fontes, Socorro Waquim ainda revela que tem um compromisso com G12 e que desde de fevereiro o grupo de oposição vem sofrendo perseguições e abusos por parte do governo Leitoa. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário