sábado, 5 de janeiro de 2019

Oposição impõe derrota e o Governo Leitoa perde o comando da Câmara Municipal de Timon


Como de fato já era esperado deu o resultado favorável à oposição liderada pelo G11, no tocante à eleição para a escolha do novo presidente da Câmara Municipal de Timon. A sessão plenária extraordinária aconteceu na manhã deste sábado, 05, quando foi eleita a Nova Mesa Diretora da Casa, onde a chapa "Democracia e Respeito", composta por vereadores de oposição, acabou sendo confirmada como vitoriosa e, ao mesmo tempo, empossada para o biênio 2019-2020.

A base governista insistiu até os últimos momentos tentando mudar o resultado visando ampliar o número de aliados. Porém, sem maioria de votos conquistando apenas 10 em sua totalidade. Por isso, talvez, prevendo a derrota antecipada nenhum dos 10 vereadores aliados do prefeito Luciano Leitoa compareceu ao ato de votação. Nesse sentido,  a oposição impôs uma derrota implacável na situação governista municipal. Se fosse uma partida de futebol teria sido uma goleada de 11X0. Mas como se trata de maioria absoluta em votação o resultado final também ficou assim: 11X0.

Diante desse resultado na questão de votos garantidos, a nova Mesa Diretora da Câmara Municipal de Timon, após ser empossada ficou definida na seguinte ordem: vereador Hélber Guimarães, presidente; vereador Ramon Júnior, 1º vice presidente; vereador Kaká do Frigosá, 2º vice presidente; vereadora Cláudia Regina, 1ª secretária e vereador Adão da Ceasa, 2º secretário.


A sessão extraordinária foi presidida pela presidente interina da Casa, vereadora Socorro Waquim, que baseada na Lei Orgânica do Município, conduziu os trabalhos legislativos e deu posse ao novo presidente Hélber Guimarães. Mesmo depois da eleição seguida de posse dos eleitos para a Mesa Diretora da Câmara Municipal de Timon, apareceu um oficial de justiça e notificou a ex-presidente Socorro Waquim sobre uma decisão judicial na qual mandava suspender a sessão extraordinária. Muito provavelmente a base governista derrotada deverá questionar na Justiça tentando anular o ato.


Nenhum comentário:

Postar um comentário