terça-feira, 19 de fevereiro de 2019

Câmara de Timon realizará audiência pública para discutir reajuste dos professores

Comissão de Educação se reuniu previamente para buscar entendimento quanto ao reajuste


A Câmara Municipal de Timon realizará nesta quinta-feira (21), às 09h, no plenário da Casa, uma audiência pública para tratar da Lei do Magistério e do reajuste salarial da categoria. A audiência foi requerida pelo vereador Henrique Júnior, líder da oposição e deverá contar com a presença dos demais parlamentares, o sindicato dos professores e representante do Ministério Público.

Porém, nesta terça-feira (19), a Comissão de Educação da Câmara de Timon realizou uma reunião, juntamente com a Comissão de Constituição e Justiça, com a presença de vereadores da base do prefeito e de oposição, além do secretário municipal de Governo, João Batista, de membros do sindicato dos professores e do promotor Fernando Meneses, da Promotoria de Educação do Ministério Público, para buscar um entendimento quanto à pauta do reajuste do piso do magistério.

A prefeitura enviou à Câmara Municipal a proposta de reajuste de 4,17% nos salários dos professores, que é orientado pelo Ministério da Educação para o piso salarial do magistério. Já os vereadores da oposição defendem que este reajuste seja maior, no caso 4,5%, por entender que isso reforça a valorização dos professores.

O promotor Fernando Meneses afirmou que é muito louvável que a Câmara tenha tomado a iniciativa de debater este tema e que o Ministério Público se propõe a fazer a mediação das partes interessadas para que a matéria seja votada da maneira mais rápida possível, dentro da legalidade e respeitando o regimento da Casa. "Todas as reuniões prévias são importantes para que todos os vereadores tenham em mente as possibilidades que foram propostas pelo executivo e dessa forma possam votar de maneira que todas as partes saiam satisfeitas e com o entendimento".


A vereadora Socorro Waquim, membro da Comissão de Educação da Câmara Municipal destacou que a reunião ocorrida na manhã desta terça-feira foi inédita pois, "foi uma reunião aberta, uma reunião que permitiu a participação de vários segmentos, onde foi colocada a posição deste segmento". Socorro Waquim disse ainda que o ministério Público fez o papel de mediador, trazendo a proposta do sindicato dos professores que é a de aceitar o reajuste de 4,17%, que no caso é o mínimo orientado pelo MEC.

Socorro Waquim explicou ainda que na audiência pública, a ser realizada na quinta (21), e que será aberta à toda a população o sindicato dos professores terá a oportunidade de se pronunciar, quando será discutida, abertamente, a proposta, do vereador Henrique Júnior, de que esse percentual de aumento seja ampliado para 4,5%. "Essa Casa entende que fará o trabalho o mais rápido possível para que antes do final do mês este projeto de lei esteja aprovado, de forma que os professores terão o seu reajuste, seja o enviado pelo prefeito ou pelo valor maior do que o proposto".



Nenhum comentário:

Postar um comentário