terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

Representantes de Timon participam da Conferência Estadual Extraordinária do PCdoB (MA), em São Luís



Aconteceu na última sexta-feira (22), no Auditório Fernando Falcão da Assembleia Legislativa do Maranhão, a Conferência Estadual Extraordinária do PCdoB (MA), com a presença do governador Flávio Dino e da presidenta nacional do PCdoB e vice-governadora de Pernambuco, Luciana Santos. A Conferência mobilizou cerca de 5 mil militantes em todas as regiões debatendo o processo de incorporação do Partido Pátria Livre (PPL) às hostes do Partido Comunista do Brasil.

A caravana de Timon que participou Conferência Estadual Extraordinária do PCdoB (MA), foi composta pelos seguintes representantes do partido, entre eles, vereador e vice-presidente da sigla, Celso Tacoane, Aécio Borges, Orlando Júnior, Hélio Tacoane, Paulo Henrique (PH), Irmão Francisco e Josué Brito. Neste caso, o presidente Municipal do PCdoB, de Timon, João Rodolfo, foi representado no ato pelo vice-presidente Celso Tacoane. Rodolfo participará como delegado junto a Conferência Nacional do PCdoB, em São Paulo, no dia 17 de março próximo.


O presidente estadual do PCdoB, deputado federal Márcio Jerry, ressaltou que “o partido é a coluna vertebral da grande frente política que está revolucionando o Maranhão, elevando as condições de vida de seu povo, sob o comando do governador Flávio Dino”.

Representando o PPL, o professor José Lima, ex-deputado estadual, afirmou que a confluência do PPL ao PCdoB, sob a forma incorporação, é o encontro de duas legendas com trajetória de defesa da democracia e da maioria do povo.

Flávio Dino arrancou efusivos aplausos ao afirmar que estava se preparando para disputar a eleição presidencial de 2022. “Não sei se vocês notaram, mas estou até mais magro. É que estou me preparando para disputar o Palácio do Planalto em 2022”.

Reforma da Previdência

O governador comunista criticou de maneira contundente a proposta de reforma da previdência pretendida pelo governo Bolsonaro. Para ele, a existência da previdência se justifica para atender aos que são pobres, aos vulneráveis. “A reforma da previdência é um absurdo, pois atinge não aos ricos mas sim aos pobres. O que estão tentando fazer é acabar com previdência social”, disse Dino.

Flávio Dino ressaltou, ainda, a importância da incorporação do PPL ao PCdoB. “Com essa atitude generosa e corajosa dos companheiros do Pátria Livre equacionamos o problema da cláusula de barreira e assim, em 2022, nas comemorações do centenário ele estará ainda mais forte e influente”.



Nenhum comentário:

Postar um comentário