quinta-feira, 25 de abril de 2019

PI: Chico Lucas descarta ida ao MDB e candidatura à Prefeitura de Teresina

Advogado disse ao OitoMeia que não pretende filiar-se a nenhum partido no momento. Ele ainda revelou que o convite para ser o candidato do MDB à prefeitura da capital não veio

Advogado Chico Lucas 
O ex-presidente da OAB-PI, Chico Lucas, limitou o diálogo com o presidente da Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi), Themístocles Filho (MDB), e ao presidente da Câmara de Vereadores de Teresina, Jeová Alencar (PSDB), a uma “conversa de amigos”. O advogado confirmou o convite para o ingresso no MDB, mas negou que tenha qualquer tipo de interesse de entrar na vida pública e muito menos de disputar a principal cadeira do Palácio da Cidade.

Themístocles Filho e Jeová Alencar, que aguarda por uma janela para ir à sigla do presidente da Alepi, formam um dos três principais alinhamentos políticos que prometem lançar chapas competitivas rumo à Prefeitura de Teresina em 2020. Nos bastidores, com espaço de mais de um ano para a eleição, as lideranças do Legislativo e Executivo piauiense já montam uma articulação estratégica para o pleito.

Chico Lucas que comandou a seccional Piauí, da OAB, de 2016 a 2018, apesar de não ter conseguido eleger o sucessor, Lucas Vila, que perdeu para o atual presidente, Celso Barros, é um nome visto com bons olhos pelo grupo emedebista. Porém, o advogado disse ao OitoMeia que não pretende filiar-se a nenhum partido no momento. Ele ainda revelou que o convite para ser candidato a prefeito da capital não veio.

“Foi uma conversa informal, entre amigos. Eu não vou ser candidato e não tenho interesse em entrar para a vida pública. Surgiu o convite de ingressar no MDB e não de ser candidato a prefeito. Nesse momento, eu quero cuidar da minha vida profissional”, informou o ex-presidente da OAB-PI.

Outro nome que também já foi procurado pelo grupo político de Themístocles e Jeová foi o Dr. Pessoa que segue sem partido. Segundo o presidente da Câmara de Vereadores, o momento é de conversação e fortalecimento das bases para uma eleição sem coligação nas proporcionais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário